Português Inglês Persa
Hoje é Sábado, 21 de Maio de 2022
Alemanha autoriza novamente garantias govermentais nas exportações para o Irã


Alemanha autoriza novamente garantias govermentais nas exportações para o Irã

O Ministério da Economia alemão anunciou que planeja autorizar novamente as garantias de exportação para as empresas que desejam fazer negócios com o Irã após o levantamento das sanções internacionais contra a República Islâmica.



As potências mundiais suspenderam as sanções em troca do cumprimento por Teerã do acordo para modificar o seu programa nuclear, que foi confirmado pela agência nuclear da ONU no sábado, informou a Reuters.

Um porta-voz do ministro da Economia, Sigmar Gabriel, disse que as garantias de exportação serão novamente autorizadas embora algumas outras questões tenham que ser resolvidas primeiro, como o pagamento de dívidas pendentes.

Berlim está em negociações construtivas com Teerã sobre essa questão, disse o porta-voz.
As chamadas garantias Hermes tornaram-se um pilar da indústria de exportação da Alemanha, oferecendo segurança para empresas e bancos que fazem negócios nos mercados classificados.

As empresas são elegíveis para receber essa garantia se mais de metade dos componentes de um produto são feitos localmente, mas grupos industriais e bancários pediram ao governo para estender o escopo do sistema.

As garantias foram originalmente introduzidas em 1949 para os casos em que as empresas não conseguissem seguro privado. Em 2014, € 24.8 bilhões ($ 27,01 bilhões) do valor das exportações foram apoiados pelas garantias Hermes.

As exportações costumavam ser um dos principais motores de crescimento na maior economia da Europa, representando cerca de 40% do PIB.

A Câmaras de Comércio e Indústria (DIHK) espera que as exportações alemãs para o Irã cheguem a € 5 bilhões ($ 5.5 bilhões) nos próximos anos e dupliquem esse valor a longo prazo.

Empresas alemãs de maquinaria, automóveis, produtos químicos, saúde e energia renovável, tendem a ser os maiores beneficiários da abertura do mercado iraniano.

Gabriel, que em julho passado liderou a delegação do governo alemão para Teerã em 13 anos, vai voltar para o Irã em maio, para co-presidir uma conferência econômica com o colega iraniano Ali