Português Inglês Persa
Hoje é Segunda-Feira, 28 de Setembro de 2020
 Zanganeh: o coronavírus não afeta a produção de petróleo e gás


Zanganeh: o coronavírus não afeta a produção de petróleo e gás

o ministro iraniano do petróleo disse :"O coronavírus não afetou a produção de petróleo e gás do Irã" . Ele acresetou que a contenção do vírus na indústria petrolífera foi cumprida com sucesso.




O ministro do Petróleo, Bijan Namdar Zanganeh, disse "o coronavírus não afetou a produção de petróleo do Irã e estamos produzindo como antes. É claro, vimos um declínio no transporte e no consumo nas cidades".

"A produção e distribuição de petróleo e gás iraniano são realizadas sem nenhum efeito do surto de vírus", disse Farrokh Alikhani, vice-chefe da Companhia Nacional de Petróleo Iraniana (NIOC), Farrokh Alikhani.

A indústria petrolífera do Irã está sob as mais severas sanções dos Estados Unidos, como parte da "pressão máxima" do governo Trump sobre Teerã por não se submeter às exigentes exigências de Washington.

Zanganeh foi a Viena quarta-feira para participar de uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A Opep e seus aliados fora da organização devem considerar cortes substanciais na produção de petróleo para elevar os preços atingidos pelo surto de coronavírus.

Os participantes da chamada reunião da Opep + tentarão trazer a Rússia para cortar mais um milhão de barris por dia de sua produção, aumentando os preços, que caíram 20% desde o início do ano.

Questionado pelos repórteres na quarta-feira se a Rússia aceitaria o pedido, Zanganeh disse: "Não sei, temos que ver".

"Os russos vão resistir até o último minuto ao declínio da produção de petróleo para não reduzir nenhum número (de produção)", disse ele.

Segundo Zanganeh, o painel da OPEP +, o Comitê Técnico Conjunto (JTC), recomendou um corte de pelo menos 500.000 bpd no segundo trimestre.

"Atualmente, o mercado de petróleo enfrenta um excedente de oferta devido à disseminação do coronavírus. É imperativo que os produtores da OPEP e de outros países não façam o possível para equilibrar o mercado", afirmou.

Já existe um acordo entre a Rússia, a OPEP e outros produtores para reduzir a produção a partir de 1º de janeiro em 2,1 mbd.

As exportações de petróleo do Irã caíram acentuadamente sob as sanções dos EUA, mas as medidas coercitivas levaram o país a otimizar sua economia e aumentar as exportações não petrolíferas.

As nuvens escuras das sanções também continham um lado positivo para muitas empresas iranianas que fizeram grandes negócios em petróleo, gás e outras indústrias, anteriormente concedidas a gigantes internacionais de energia.

As sanções geraram um impulso voltado para o interior do Irã, especialmente em sua indústria de petróleo, que se esforçou para colocar uma confiança sem precedentes nas empresas locais para a implementação de alguns grandes projetos.