Português Inglês Persa
Hoje é Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020
Áustria sublinha necessidade de impulsionar laços bancários com o Irã


Áustria sublinha necessidade de impulsionar laços bancários com o Irã

Presidente da Câmara de Comércio Vorarlberg - Estado da Áustria, Helmut Steurer sublinhou a necessidade de ampliação das relações comerciais e bancárias com o Irã.



"Estou certo de que os bancos do meu país estão dispostos a ter presença ativa no Irã", Steurer disse a repórteres na sexta-feira.
Sublinhou que os bancos austríacos devem abrir filiais no Irã.
Steurer visitou recentemente o Irã para participar de uma conferência sobre a cooperação comercial entre Irã e Áustria, e disse: "Existem alguns acordos para proteger investimentos conjuntos entre o Irã e a Áustria que podem servir como uma boa base para a promoção de investimentos no futuro."
Ele disse que desde o Estado Vorarlberg da Áustria vizinho da Suíça, Alemanha e Lichtenstein, o Estado austríaco ocidental de Vorarlberg tem que competir com essas potências econômicas.
"Os produtos deste estado são de alta qualidade e podem ajudar o progresso do Irã", acrescentou Steurer.
A conferência sobre a cooperação comercial entre Irã e Áustria foi realizada em Teerã, em 7 de novembro.
Em observações pertinentes em 7 de novembro, embaixador Austríaco em Teerã Friedrich Stift expressou a prontidão dos bancos de seu país para alargar a cooperação e estabelecer filiais no Irã, em um futuro próximo.
"Os bancos austríacos pretendem regressar ao Irã; um banco austríaco que já manifestou a sua disponibilidade para lançar o sua filial no Irã", Stift disse, dirigindo-se a uma conferência sobre o desenvolvimento da cooperação comercial entre Irã e Áustria.
Sublinhou que a criação de bancos austríacos em Teerã vai ajudar a ampliar as relações econômicas entre os dois países.
Stift apontou para Irã-Áustria relações econômicas nos últimos anos, e disse: "Durante alguns anos no passado a balança comercial entre os dois países atingiu 800 milhões de euros e a Áustria importou 400 milhões de euros provenientes do Irã, mas agora o nível dos dois países foi reduzido. "