Português Inglês Persa
Hoje é Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019
Irã em negociações para reviver as exportações de gás para Emirados Árabes Unidos


Irã em negociações para reviver as exportações de gás para Emirados Árabes Unidos



O Irã disse no sábado que está negociando com Crescent Petroleum dos Emirados Árabes Unidos para reviver um grande negócio de exportação de gás que funcionou em águas turbulentas, em 2005.

Um funcionário do Iranian Gas Company Nacional (NIGC) foi citado pela mídia como dizendo que as discussões estão em andamento com Crescent Petroleum para mudar os termos do contrato.

O funcionário não identificado foi citado pela agência de notícias Fars que o Irã já começou o planejamento para as exportações de gás natural para os Emirados Árabes Unidos.

Fars disse que os temas-chave em novas negociações com Crescent Petroleum são os mesmos que os do negócio conturbado.

O relatório da agência de notícias acrescentou que nenhum novo acordo vai ser assinado e que os funcionários da indústria do petróleo do Irã estão trabalhando em como implementar o acordo.

"No entanto, nenhuma conclusão específica foi atingido e ainda não está claro quando as exportações de gás para os Emirados Árabes Unidos vai começar", acrescentou o relatório citando autoridades NIGC sem nome.

The National Iranian Oil Company (NIOC) e do Crescente assinou um contrato de 25 anos em 2001 para a exportação de gás de 17 milhões de metros cúbicos de gás por dia a partir de campo Salman do Irã no Golfo Pérsico para os Emirados Árabes Unidos. No entanto, o acordo foi suspenso e tornou-se um tema de controvérsia no Irã em 2005.

No cerne da questão - que ainda é mencionado pela mídia e pelos funcionários como a controvérsia Crescent - foi a fórmula de precificação do gás. Os críticos do acordo em Teerã sustentou que o preço acordado no contrato era 14 vezes abaixo do preço de mercado.

Crescent Petroleum, eventualmente, procurou uma arbitragem internacional através de Haia sobre sua disputa com a NIOC em 2009 e ele disse em 2014 que ele tinha ganhado o caso. A empresa disse que um tribunal internacional havia determinado que "o contrato de 25 anos entre ele e NIOC é válida e obrigatória para as partes, e que NIOC foi obrigado a entregar o gás nos termos do contrato desde dezembro de 2005."

Um funcionário NIGC de nome não revelado, disse à agência de notícias Fars que Crescent está tentando receber gás do Irã com base na decisão por Haia. "No entanto, o lado iraniano quer negociar sobre isso e chegar a um resultado ganha-ganha", disse o oficial. "Isso porque o objetivo do Irã é exportar gás e obter receitas."