Português Inglês Persa
Hoje é Segunda-Feira, 12 de Novembro de 2018
Irã importará tecnologia de construção naval da Coréia do Sul


Irã importará tecnologia de construção naval da Coréia do Sul

A empresa Iranian Shipbuilding and Offshore Industries Complex (ISOICO) importará a tecnologia sul-coreana para a construção de navios gigantes, disse o Saeedi da IRISL, República Islâmica do Irã.



Mohammad Saeedi disse que um dos principais planos da IRISL é relançar os contratos que foram suspensos durante a era das sanções com o objetivo de renovar a frota da IRISL e aumentar a competitividade do país.
Ele acrescentou que antes das sanções, o Irã assinou um contrato com a sul-coreana Hyundai Heavy Industries Co. (HHI) para construir 17 navios gigantes para a IRISL e pagou US $ 158 milhões antecipadamente em 2008.
O contrato foi, contudo, suspenso em 2010 devido às sanções, disse o funcionário.
Ele observou que o contrato entrou em vigor novamente após um ano de negociações com a empresa sul-coreana.
Saeedi apontou ainda os esforços mais recentes para importar a tecnologia para a construção de navios “mega-size” e disse que a ISOICO planejava receber a tecnologia da HHI.
Em dezembro, a IRISL assinou um acordo com a HHI para comprar 10 navios da maior empresa de construção naval do mundo. Será financiado pelos bancos sul-coreanos.
Com base no contrato, avaliado em US $ 650 milhões, a Hyundai construirá 14.500 navios porta-contêineres TEU e 50.000 petroleiros de produtos DWT.
O contrato fazia parte dos planos da IRISL para renovar sua frota com um investimento total de US $ 2,5 bilhões.
A companhia opera aproximadamente 115 navios “oceangoing”, mas muitos dos navios são velhos e são considerados inseguros para viajar e não podem ser segurados.
O acordo marca o primeiro acordo do Irã com um construtor estrangeiro desde a remoção das sanções.
As sanções foram levantadas depois que Teerã e P5 + 1 (Rússia, China, Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e Alemanha) finalizaram um acordo nuclear duradouro em 14 de julho de 2015 e começaram a implementá-lo em 16 de janeiro de 2016.