Português Inglês Persa
Hoje é Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018
Irã lança primeiro algodão geneticamente modificado


Irã lança primeiro algodão geneticamente modificado

Irã revelou a primeira amostra de algodão geneticamente modificado, que foi produzido através da tecnologia indígena por especialistas iranianos.



A inauguração teve lugar durante a Primeira Internacional e 9º Congresso Nacional de Biotecnologia do Irã, que contou com a presença do ministro da Agricultura Mahmoud Hojjati.

Segundo a imprensa persa, Dr. Mostafa Ghane'i, que dirige o Primeiro Congresso Internacional Biotecnologia do Irã, disse que a tecnologia para a produção de algodão geneticamente modificado foi desenvolvido por um instituto de pesquisa em biotecnologia iraniano na província de Alborz, a oeste da capital , Teerã.

"Esta tecnologia foi desenvolvida em cerca de cinco anos por pesquisadores iranianos e se adapte às condições do país", acrescentou.

O funcionário observou que o algodão geneticamente modificado é considerado como uma solução para os problemas existentes com a qualidade dos produtos de algodão no sul da província de Khorasan.

Ele acrescentou que, aproveitando a nova tecnologia, a cultura do algodão colhido entre farms provinciais foi aumentado 5-7 vezes.

Explicando sobre os aspectos jurídicos da questão, disse Ghane'i aproveitando de qualquer nova tecnologia em fazendas teriam permissão do Comitê de Biossegurança do Parlamento iraniano.

Ele observou que a comissão é composta por representantes do Ministério da Saúde, Ministério da Agricultura Jihad, e do Departamento de Meio Ambiente.

Durante as últimas duas décadas, o Irã abriu espaços no campo da biotecnologia como um resultado do qual o país é atualmente um exportador de medicamentos biotecnológicos.

A Primeira Internacional e nono Congresso Nacional de Biotecnologia do Irã abriu em Teerã em 24 de maio e continuará até maio 26. O evento é organizado pela Sociedade Biotecnologia da República Islâmica do Irão.

Mais de 20 especialistas estrangeiros do Japão, Filipinas, Índia, Paquistão, Kuwait e da Mongólia participam no congresso.

SS / SS