Português Inglês Persa
Hoje é Terça-Feira, 25 de Fevereiro de 2020
Irã vê economia crescer sob sanções


Irã vê economia crescer sob sanções



Irã prevê um crescimento económico de 2,5% no ano novo, uma vez que absorve o choque da queda dos preços do petróleo e das sanções lideradas pelos Estados Unidos.

A segunda maior economia do Oriente Médio se recuperou de dois anos de recessão em 2014 e registrou um crescimento de 1,45%, de acordo com o Fundo Monetário Internacional.

O governo tem que enfrentar uma nova onda de flutuações dos preços do petróleo e do défice orçamental no ano novo. Ele está trabalhando em um orçamento, o que leva a carga fora as receitas do petróleo esgotando e, em parte, desloca o peso de não-petrolíferos prossegue.

As exportações de petróleo totalizaram 42.500 milhões dólares nos últimos 10 meses, quase paridade com vendas não-petrolíferos, de acordo com a porta-voz do governo Mohammad Baqer Nobakht.

O governo prevê um cenário semelhante para o novo ano, uma vez que está pisando na água, pois ainda não está claro qual direção as negociações nucleares entre o Irã eo P5 + 1 grupo de países irá tomar.

Se as negociações conduzirem a uma solução final, o Irã vai ver um aumento notável para o investimento estrangeiro.

Governo diz que se preparou-se para o pior cenário em que o país iria manter a sua uptick econômico modesto mesmo que as negociações entraram em colapso.

A inflação caiu para cerca de 16% a partir de 40% sob o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad de que seu sucessor Hassan Rouhani descreveu um milagre.

Economia do Irã contratados entre 2012 e 2013, a uma taxa de 6,8% e 1,9%, que viu a moeda nacional perde dois terços de seu valor.

Mas o país está a funcionar com a força de uma grande economia com suas enormes empresas de pequeno porte. Este fator tem jogado fora bem a vantagem do Irã e manteve sua economia do colapso, mesmo sob uma infinidade de sanções.

Segundo o FMI, o Irã gerou um PIB de 406.000.000 mil dólares em 2014, que ele desembarcou em segundo lugar entre 30 economias do Oriente Médio, Norte da África e da Ásia Central.

Sanções lideradas pelos Estados Unidos ainda estão no local, mas a economia do Irã chugs junto. Muitos especialistas dizem que a idéia de que a economia poderia funcionar fora do vapor sob penas intensivos é absolutamente equivocada.