Português Inglês Persa
Hoje é Domingo, 8 de Dezembro de 2019
O turismo de saúde do Irã pode atrair US$ 7 bilhões anualmente


O turismo de saúde do Irã pode atrair US$ 7 bilhões anualmente

O ministro das cooperativas, do trabalho e da assistência social iraniano disse que o país tem potencial para ganhar US $ 7 bilhões em receitas, atraindo um milhão de turistas de saúde anualmente.



Os serviços relativos ao turismo de saúde podem ser considerados como a principal vantagem do turismo médico no Irã, afirmou Ali Rabiei em um discurso para uma conferência internacional realizada no hotel Hama, em Teerã, na terça-feira à noite, a que participaram representantes empresariais de mais de 30 setores.
Rabiei também apontou a falta de gerenciamento integrado e propaganda adequada como fatores que prejudicaram os setores de turismo médico e de saúde no país, apesar da alta qualidade dos serviços e preços baixos.
As empresas de turismo de saúde de mais de 30 países, incluindo Holanda, Alemanha, França, China, Canadá, Brasil, Rússia, Ucrânia, Turquia, Azerbaijão, Geórgia, Bielorrússia, Bulgária, Romênia e Uzbequistão devem colaborar com o Irã nesse sentido.
No início deste mês, o Irã assinou acordos com 13 países vizinhos com o objetivo de desenvolver e reorganizar seu setor de turismo médico. Pacientes do Iraque, Azerbaijão, Armênia e os estados do litoral do Golfo Pérsico constituem o maior número de viajantes que visitam o Irã anualmente para serviços médicos.
Além disso, a estatal Tourism Holding Company, afiliada à Organização da Segurança Social, deve apresentar um plano abrangente, que será implementado com a participação de 22 hospitais e mais de 200 médicos, especialistas e cirurgiões.
O Ministério da Saúde registrou cerca de 105 mil pacientes entrantes no último ano civil iraniano (março de 2016 a março de 2017), afirmou Rabiei em julho.
O Irã lançou amplos planos para reforçar o seu setor de turismo. Sob o Plano de Visão de Turismo 2025, o país espera aumentar o número de chegadas de turismo de 4,8 milhões em 2014 para 20 milhões em 2025.
FOTO: Ministro das Cooperativas, do Trabalho e da Previdência Social Ali Rabiei em uma foto não datada