Português Inglês Persa
Hoje é Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Petróleo bruto iraniano vendido a 74,65 dólares em novembro: NIOC


Petróleo bruto iraniano vendido a 74,65 dólares em novembro: NIOC



O Irã vendeu petróleo bruto a 74,65 dólares por barril, em média, em novembro, o National Iranian Oil Company (NIOC) disse em seu último relatório.

Em outubro, a Bloomberg informou que o Irã iria vender o seu petróleo para a Ásia em novembro, o maior desconto em quase seis anos, cortes por Arábia Saudita combinando como benchmarks brutas globais deslizar mais profundo em um mercado de urso.

Os preços do petróleo caíram para um período de quatro anos de baixa na semana passada após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anunciou em 27 de novembro que não vai mudar os níveis de produção, deixando o teto de produção diária em 30 milhões de barris, apesar das preocupações excesso de oferta e óleo suave preços.

Preços mundiais do petróleo caíram cerca de 40 por cento desde junho. É enquanto orçamento nacional do Irã para o atual ano calendário iraniano, que começou em 21 de março de 2014, havia sido definido com base no preço do petróleo a US $ 100 por barril.

O ministro do Petróleo iraniano Bijan Namdar Zanganeh estabeleceu uma meta de 5,7 milhões de barris por dia de petróleo bruto de saída em 2018, de acordo com declarações oficiais.

Com segurando 157,000 milhões de barris de reservas de petróleo recuperáveis, o Irã possui a quarta maior reserva de petróleo do mundo.

De acordo com um acordo provisório entre o Irã eo grupo 5 + 1, que entrou em vigor em janeiro de países ocidentais diminuiu as restrições sobre o seguro dos embarques de petróleo do Irã. Além disso, o P5 + 1 países concordaram em liberar uma quantidade limitada de dinheiro do petróleo do Irã em troca de uma suspensão limitada das atividades nucleares do Irã. Como parte do acordo, seis compradores atualmente sob sanções dos EUA são autorizados a adquirir petróleo bruto do Irã, sem a necessidade de cortar as importações, a fim de evitar sanções dos EUA.