Português Inglês Persa
Hoje é Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019
Maior consumo de peixe gordo dificulta o crescimento do câncer


Maior consumo de peixe gordo dificulta o crescimento do câncer



Um estudo recente mostra que um maior consumo de peixe gordo pode prevenir o corpo de desenvolver tumores cancerosos.

De acordo com um estudo realizado pela Mid Instituto do Coração América de São Lucas com sede nos EUA, aqueles que consomem uma certa quantidade de ômega-3 ácidos graxos ricos em somes tipos de peixes como o salmão selvagem do Alasca são encontrados para estar em um risco significativamente menor para a número de cânceres, incluindo o de ovário, endométrio, faringe, esôfago, estômago, cólon, retal e do pâncreas.

A pesquisa também sugere que uma grande ingestão de gorduras omega-3, que é o tipo proeminente em peixes gordos, também poderia ser prevista para se opor a actividade cox-2, e, assim, reduzir o risco de um tipo comum de tumor cancerígeno conhecido como adenocarcinomas.

A ciclo-oxigenase-2 (COX-2) é uma enzima que contribui de forma significativa para a génese e progressão de adenocarcinomas.

Os autores enfatizam que "não é apenas a quantidade de peixes consumidos diariamente, mas também a natureza do peixe, e como ele é conservados ou cozidos, podem ter um grande impacto sobre o potencial de peixe na dieta para reduzir o risco de câncer."
Nas últimas décadas, ele também foi encontrado omega-3 ácidos graxos poderia ajudar a evitar problemas cardíacos.

De acordo com um número de estudos anteriores, os óleos de peixe reduzir a inflamação e pode reduzir os efeitos da asma e doença do intestino, reduzir o risco de parto prematuro, para melhorar a memória e curar a depressão.

Os ácidos graxos ômega-3, que são extraídos a partir de óleos de peixe, incluem três tipos de óleo, ou seja, Alphalinolenic, eicosapentaenóico e docosahexaenóico Acids (ALA, EHA e DHA).