Português Inglês Persa
Hoje é Sexta-Feira, 6 de Dezembro de 2019
Venha conosco ao Irã - 19 - província de Isfahán - época de Safavida


Venha conosco ao Irã - 19 - província de Isfahán - época de Safavida

No texto anterior apresentamos-lhes a conhecida e histórica Avenida de Chahar-Baq e, também explicamos sobre os monumentos criados na época de Safavida na mesma avenida, tais como o Colégio de Chahar-Baq, o mercado e o hospedaria da Mãe do Xá (Rei).



Continuando nosso passeio na bela cidade de Isfahán, vamos conhecer outro glorioso monumento Isfahán: o Hotel Abbasi (hospedária da Mãe do Xá) para que se algum dia tem uma viagem a Isfahán e se acomodam ali e conheçam suas características exclusivas.
Com o crescimento econômico do Irã da época de Safavida, foram frequentes a construção dos grandes e úteis edifícios como mercados, colégios, pontes, praças e os depósitos de água. Mas, os mais destacados monumentos e edifícios daquela época são um conjunto das hospedarias, pousadas e hotéis, onde as caravanas e os comerciantes se alojavam e, eram ambientes para proteger e trocar a mercadoria dos comerciantes. O hospedaria da Mãe do Xá, junto ao Colégio Chahar-Baq é um exemplo deste tipo. Como foi dito no artigo anterior, esta hospedária foi construído durante reinado do último rei de Safavida, o Xá Soltan Hossein, que a ofereceu a sua própria mãe. E ela a doou ao Colégio Chahar-Baq para que se o lucro empregasse para despesas do colégio e a sustentação dos alunos.
A hospedaria da Mãe do Xá é muito singela, formosa e tem um ambiente agradável e sossegado, que nos recorda a gloriosa Praça de Naqshe-Jaahan da cidade de Isfahán. A referida hospedaria conta com duas plantas com um grande pátio e um ribeirinho que atravessa o pátio, embelezando ainda mais a sua estrutura. A hospedaria da Mãe do Xá foi destruído depois do ataque dos afegãos a Isfahán no ano 1134 da hégira lunar (1722) e a queda do reinado de Safavida. Mas, na época de Zel al-Soltan, o governador qajarita em Isfahán, foi reconstruída visando alojamento dos soldados de cavalaria, até o ano 1302 da hégira lunar (1923) e, depois se tornou num depósito de mercadorias. No ano 1336 da hégira solar (1957), o governo, tendo em conta o aumento de turistas, tinha modificado a funcionalidade de hospedaria e o converteu num hotel internacional. Os principais planos para modificar a hospedaria foram realizados pelo conhecido arquiteto francês Maxime Siroux, quem tinha pesquisado previamente sobre as hospedarias do Irã. Procurava dois objetivos principais para reconstruir o edifício: primeiro, proteger o aspecto exterior e, segundo, modificar os quartos antigos da hospedaria a umas habitações adequadas para receber os hóspedes. Os desenhos aplicados na reconstrução do edifício foram autenticamente iranianos.
A decoração do interior do hotel foi feitas por um grupo dos mais hábeis decoradoras com gesso e espelho. A reconstrução da hospedária finalizou em 1345 da hégira solar (1966).
Hoje, o hotel Abbasi de Isfahán, devido ao seu antecedente histórico de 300 anos e pela existência de esplendor trabalhos artísticos islâmico-iranianos, é conhecido como um dos preciosos e antigos museus do mundo.
O hotel Abbasi, que conta com 231 habitações, respeitando tambem as padrões internacionais, recebe anualmente dezenas de milhares hóspedes iranianos e turistas de diferentes lugares do mundo. Também tem recebido a dezenas de delegações políticas de alta nível e de personalidades internacionais. O hotel divide-se em duas partes: tradicional e moderna. Na parte moderna, os apartamentos, como são óbvios, são modernas e estão decoradas com os artesanatos de Isfahán. Na parte tradicional, existem pisos com a arquitetura de Safavida e Qajar, com um ambiente de sonho e as paredes com muito lindos desenhos. E todos eles recordam a arquitetura da sua época para os seus hóspedes.
Uma das partes atraentes deste hotel é o seu restaurante. Existem múltiplos salões e a cada denominado o nome de um dos monumentos famosos de Isfahán, decorando se com numa forma adequada e similar. Chehel-Sotun, Ali-Qaapu, Naqshe-Jaahn e Firuzeh são alguns dos salões onde recebem os hóspedes no hotel. Nestes salões que também funcionam como auditórios realizam se anualmente diferentes reuniões científicas, culturais, políticas e econômicas nacionais e internacionais.
O extenso pátio do hotel e um ribeirinho que corre no meio criou um ambiente de tranquilidade especial para os hóspedes. Assim mesmo, as múltiplas possibilidades como os salões de lazer, ginásio e os restaurantes panorâmicos nos terraços com vista formosa para a cidade, têm aumentado ainda mais a sua atração.
A cafeteria tradicional do hotel Abbasi, na parte norte, é uma das singulares cafeterias em todo mundo.
Outra parte atraente do hotel Abbasi é um comedor chamado o salão de Zarineh; onde suas paredes da cor dourada e sua estufa, com decorações de gesso, da cor turquesa e dourada têm aumentado sua beleza. A decoração do salão é de estilo de arquitetura Safavida representada numa forma específica. Em diferentes partes do salão e também do hotel se vê as portas antigas, recolhidas das casas históricas de Isfahán.
Ao todo, o hotel Abbasi é uma exposição verdadeira da arte iraniana. Em todos os lados do hotel existem as impressões dos grandes maestros tais como os desenhos dos tapetes dos salões e das paredes. E todos estes detalhes mesmo o recepcionar os hóspedes e os vestidos típicos dos servidores leva as pessoas nos imaginários aspectos da época. Segundo os experientes artísticos, a restauração e reconstrução do hotel demoraram 700 mil horas de trabalhos artísticos.
Esperamos que vocês também tenham a oportunidade de visitar e hospedar neste fantástico hotel e possam comprovar que o hotel Abbasi, hoje, está entre os hotéis da primeira categoria internacional, por ser um hotel exclusivo e inigualável em todo o mundo.
Nos artigos anteriores apresentamos-lhes os diferentes artesanatos de Isfahán e foi conhecida a arte de Qalam-zani.
Aproveitamos como a segunda parte, explicar-vos brevemente sobre a arte de Qalam-kari, uma arte popular, a qual os artistas anônimos e humildades criam desenhos muito preciosos sobre a teia com a única ajuda de suas mãos.
O processo de Qalam-kari realiza-se da seguinte maneira. Esboçar o desenho, com uma estampa fixar os desenhos sobre um tecido especifica feito de algodão. Entre os múltiplos desenhos sobre as teias em forma de variedades toalhas de mesa e peças decorativas pode ser encontrada a criatividade dinâmica e poética que representam a arte e cultura original persa.
A variedade dos desenhos, os quais são muito próximos aos tapetes persas, tem dado muita fama às tolhas de Isfahán. Como se disse, todos os desenhos se esboçam sobre o tecido estampados, com uns instrumentos especiais feitos de madeira, em cada gravado uma parte do desenho completo.
Normalmente, a madeira utilizada nas estampas é do peral. As estampas são a base principal de Qalam-kari e, as pessoas profissionais trabalham com estas estampas manualmente.
Os tecidos que são fruto da arte de Qalam-kari têm diferentes usos, tais como fazer vestido, cortinas, mantas, toalhas de mesa e roupas de cama, pequenos tapetes de rezar, bolsas, e muitos outros a mais.
Os tecidos de Qalam-kari são muito lindos e maravilhosos, inspiram a tradição dos antepassados.